O ingresso na universidade de alunos com deficiência é essencial para que o ensino público seja o reflexo da sociedade através da inclusão. O Campus UFRJ-Macaé vem recebendo alunos com deficiência porém, pela primeira vez, a nossa instituição recebe ingressantes através de Regime de Entrada Específico.

Desde novembro de 2016, na UFRJ, Campus Fundão/Rio de Janeiro, tem acontecido Plenárias do Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva, para discutir questões referentes à entrada pelo sistema de ingresso da Pessoa com Deficiência (PcD), que começou no segundo semestre de 2017, nas Universidades Federais.

A professora Jane Capelli é representante do Campus UFRJ-Macaé, aprovada pelo Conselho Deliberativo, que também implementou, em outubro de 2017, a Comissão Provisória UFRJ Macaé Acessível e Inclusiva, também conhecida como CPAI, com o objetivo de apoiar as PcD do Campos UFRJ Macaé, mapear todos os estudantes com deficiência, levantar as necessidades dos PcD e identificar como está o Campus quanto a acessibilidade e inclusão (incluindo estrutura física, capacitação de professores etc.). Essa Comissão é composta por representantes do Campus, incluindo os cursos de graduação do Campus, dentre docentes, técnicos e discentes, descritos a seguir: Professores, Jane de Carlos Santana Capelli (Curso de Nutrição), Inês Leoneza de Souza (Curso de Enfermagem e Obstetrícia), Hercules Rigoni Bossato (Curso de Enfermagem e Obstetrícia), Raquel Silva de Paiva (Curso de Enfermagem e Obstetrícia), Adriana Bispo Alvarez (Curso de Enfermagem e Obstetrícia), Valeria Belmont (Curso de Engenharia), Angelica Nakamura (Curso de Nutrição), Ainá Innocencio da Silva Gomes (Curso de Nutrição). Técnica, Jullyana Dias (Técnica Administrativa do Campus UFRJ-Macaé). Discentes, Paula Silva Figueiredo (Curso de Medicina), Artur Vitório Valladares Cardoso (Curso de Enfermagem e Obstetrícia). A CPAI tem o interstício de outubro de 2017 a março de 2018. Após esse período se tornará permanente.

A Comissão discute leis, estatutos e resoluções sobre o tema PcD, bem como as discussões abordadas na Plenária do Fórum UFRJ Acessível e Inclusiva realizada na UFRJ Fundão, entre outros. Acompanha a matrícula dos PcD em Macaé, junto à Secretaria Acadêmica e Cursos de Graduação tem feito o levantamento da infraestrutura e recursos humanos do Campus que atendem ou não as necessidades do seu corpo social PcD ou não (discentes, docentes e técnicos) para encaminhar à Direção do Campus, dentre outras atribuições.

No dia primeiro de março, a Comissão se reuniu com Matheus da Silva Oliveira, o primeiro estudante surdo a ingressar através de Regime de Entrada Específico que utiliza como primeira língua (L1), a Língua Brasileira de Sinais (Libras), tendo a Intérprete de Libras, Cristiane Dantas, servidora pública da UFRJ-Macaé, como tradutora. Nessa reunião estiveram presentes a professora Uliana Pontes do Curso de Medicina, que o receberá no primeiro período, pela disciplina Saúde da Comunidade I; e o professor Peter Franco Entringer, coordenador do Ciclo Básico da Saúde, representando o coordenador do Curso de Medicina, Professor Joelson Rodrigues.

Matheus é uma pessoa muito interessada, proativa, e demonstrou força de vontade e otimismo para realizar o seu sonho, o de ser médico, segundo Jane Capelli.

Segundo a Comissão, todos os membros estarão empenhados para apoiar a apontar as adequações necessárias para que todos os ingressantes com necessidades especiais realizem seus sonhos. No dia 04 de abril, ofertará uma Oficina abordando o tema, como primeiro movimento de acolhimento ao corpo docente do Campus UFRJ-Macaé.

 

UFRJ Campus Macaé
Desenvolvido por: TIC/UFRJ