Período: 06/07/2018  à  06/07/2019

Coordenador: Glaucia Valente Valadares

 

Resumo:
Pretende-se desenvolver a educação tendo como estratégia a aplicação de metodologias ativas, incluindo a utilização da criatividade e do lúdico para facilitar o ensino-aprendizagem, haja vista temas geradores extraídos da problematização da prática de vida das pessoas, relacionados ao estilo de vida, com repercussão junto a qualidade de vida e, por conseguinte, no que tange a saúde. Esse caminho educativo deve servir como força de mudança e de libertação, qualquer aprendizado obtido está intrinsecamente ligado à tomada de consciência da situação real vivenciado pelo educando, em que o processo de conscientização pela educação popular levaria o educando a descobrir as relações entre os fatos, perceber as causas que os interligam e lutar para mudá-los. Assim, cada ser humano envolvido na ação pedagógica dispõe em si próprio, dos conteúdos necessários dos quais se parte. Nesta lógica, o importante não é transmitir conteúdos específicos, mas despertar uma nova forma de relação com a experiência vivida, proporcionando condições para a transformação da consciência mediada pelo mundo. É importante refletir que o diálogo tem o poder de comunicar, enquanto o anti-diálogo não comunica, faz apenas, comunicados. O anti-diálogo está presente no assistencialismo, que não permite ao homem desenvolver-se criticamente ficando esse mudo e passivo. Na verdade, o que deve ser feito é ajudar o homem a ajudar-se. Com o assistencialismo, é retirada do homem a sua própria noção de responsabilidade. Logo, o projeto em tela busca discutir junto a população temas que possam beneficiar o estilo de vida com repercussões a qualidade de vida.

UFRJ Campus Macaé
Desenvolvido por: TIC/UFRJ