A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) esclarece que, em junho de 2019, constituiu a Comissão de Heteroidentificação, cujo objetivo é analisar as denúncias de fraudes nas cotas raciais. Hoje, a Comissão analisa cerca de 230 denúncias e cada caso é analisado individualmente. A UFRJ, na posição de universidade pública, gratuita, laica e de excelência, está ativa na intenção de coibir todo tipo de fraude nas cotas e, para isso, envidará todos os esforços para que as medidas cabíveis sejam executadas àqueles que utilizaram irregularmente esse mecanismo de acesso à graduação na Universidade.

 

Cabe salientar que a nova Reitoria da UFRJ, empossada em julho de 2019, criará, ainda neste ano, uma outra comissão que analisará todas as autodeclarações de candidatos de cotas raciais para acesso aos cursos de graduação da UFRJ no primeiro semestre de 2020, logo depois das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A avaliação será feita antes do processo de matrículas e, havendo irregularidades, o candidato será eliminado, tendo o seu ingresso impedido na Universidade.

Reitoria da UFRJ
16/10/2019

UFRJ Campus Macaé
Desenvolvido por: TIC/UFRJ