302 Found

Found

The document has moved here.

Carta aberta de 100 integrantes do corpo social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Museu Nacional da UFRJ: A ameaça do segundo incêndio

 

Nós, 100 abaixo assinados, docentes, estudantes e técnicos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), nos pronunciamos em relação aos momentos que vive nossa Universidade desde a noite de 2 de setembro de 2018. Naquela noite, um incêndio consumiu grande parte da memória física de nosso País, cultivada, investigada, ensinada e pesquisada no Museu Nacional. No rescaldo das chamas e das cinzas do Museu Nacional, localizado na Quinta da Boa Vista e uma das mais dinâmicas e prestigiosas unidades e institutos da UFRJ, não vieram apenas a solidariedade e o compromisso com o restauro e a retomada de sua rica vida acadêmica. Imediatamente, parte dos grandes meios de comunicação no Brasil decidiu não se juntar às manifestações solidárias oriundas de todos os rincões do mundo, incluindo museus como o Louvre e o Museu Britânico.

Começou uma campanha de desinformação e omissão da verdade, propalando notícias que escondem a realidade factual: o paulatino decréscimo do orçamento da UFRJ – atribuído pelo governo federal – para suas despesas comuns de R$ 531 milhões em 2014 para 440 milhões prometidos para 2019, com uma diminuição do orçamento de investimento (aquele que garantiria as obras requeridas pelo Museu Nacional) de 52 para 6 milhões no mesmo período. Ou a fantasia desmentida da recusa pela UFRJ, 20 anos atrás, de oferta de 80 milhões de dólares do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

Ocultaram o crescimento de 32.000 para 43.000 estudantes nos seus cursos de graduação, 21% deles com renda familiar per capita de 1,5 salários mínimos, a pujança de suas pesquisas em todos os campos de saberes, seus 129 programas de pós-graduação (um terço deles com notas de excelência atribuídas pelo próprio governo federal) que incluem mais de 13.000 estudantes. Esta omissão foi substituída pelo mais articulado ataque à administração da UFRJ em tempos recentes, centrando-os na figura do seu Reitor, cujo afastamento chegou a ser cogitado e abertamente proposto, em flagrante agressão à autonomia universitária, princípio basilar da liberdade acadêmica da milenar instituição universitária em todos os países do mundo.

A manipulação das cifras orçamentárias e os ataques ao Reitor se complementaram, de maneira também articulada, com uma proposta emanada do governo federal e que também teve a acolhida da mesma grande mídia. A retirada do Museu Nacional da estrutura acadêmica da UFRJ, transformando um espaço de ensino e pesquisa mundialmente respeitado num elegante lugar onde apenas se guardariam objetos interessantes. Implantar esta proposta constituiria, certamente, em consumar um segundo incêndio – definitivo – do Museu Nacional da UFRJ. Escondendo, entre as novas chamas, o descaso do governo federal com a cultura e a história do povo brasileiro.

Com nossas 100 assinaturas iniciais – lembrando outro documento que assim nasceu em meados do século passado para alertar ao mundo sobre a guerra e o desastre nuclear – convidamos a muitos outros para que se juntem a nós, no Brasil e no mundo, em torno de 2 princípios fundamentais e irrenunciáveis: o da preservação do Museu Nacional reconstruído como parte inalienável da vida acadêmica da UFRJ e o da defesa da autonomia universitária da UFRJ hoje ameaçada como poucas vezes na sua história.

Caminhamos para comemorar 200 anos de vida do Brasil como nação independente no conjunto dos povos do mundo. O “Grito de Ipiranga”, proclamado em 7 de setembro de 1822, é o símbolo do início dessa caminhada na história. O grito hoje na UFRJ tem 2 símbolos dizendo: Não a um novo incêndio no Museu Nacional! Sim ao pleno e digno exercício da autonomia universitária!

Rio de Janeiro, 7 de setembro de 2018, a 4 anos da celebração do bicentenário da Independência do Brasil.

 

Adalberto Vieyra, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Adelaide Maria de Souza Antunes, Escola de Química, UFRJ;

Alane Beatriz Vermelho, Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, UFRJ;

Andrew Macrae, Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, UFRJ;

Ângela Bretas, Escola de Educação Física e Desportos, UFRJ;

Antonio Carlos Campos de Carvalho, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Antonio José Leal da Costa, Instituto de Estudos em Saúde Coletiva, UFRJ;

Avany Fernandes Pereira, Instituto de Nutrição Josué de Castro, UFRJ;

Bianca Ortiz, Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa em Biologia de Xerém, UFRJ;

Bruno L. Diaz, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Carla França Araújo, Escola de Enfermagem Anna Nery, UFRJ;

Celso Caruso Neves, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Debora Foguel, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

Denise Pires de Carvalho, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Emiliano Medei, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

Fernanda C. de Q. Mello, Instituto de Doenças do Tórax/IDT, UFRJ;

Florence Brasil, Núcleo de Tecnologia Educacional em Saúde/NUTES, UFRJ;

Francisco de Assis Esteves, Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé/NUPEM, UFRJ;

Isabel Martins, Núcleo de Tecnologia Educacional em Saúde/NUTES, UFRJ;

Jerson Lima Silva, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

José Roberto Meyer Fernandes, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

José Garcia Abreu, Instituto de Ciências Biomédicas, UFRJ;

João Paulo Torres, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Juliany Rodrigues, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Kildare de Miranda, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Katya Souza Gualter, Escola de Educação Física e Desportos, UFRJ;

Luiz Eurico Nasciutti, Instituto de Ciências Biomédicas, UFRJ;

Luzineide Tinoco, Instituto de Pesquisa em Produtos Naturais, UFRJ;

Lycia Gitirana, Instituto de Ciências Biomédicas, UFRJ;

Marcelo Cortes, Colégio de Aplicação, UFRJ;

Marcia Cabral da Costa, Faculdade de Medicina, UFRJ;

Martha Sorenson, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

Nei Pereira Jr., Escola de Química, UFRJ;

Nelson Albuquerque de Souza e Silva, Instituto do Coração Edson Saad, UFRJ;

Oscar Rosa Mattos, Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia/COPPE, UFRJ;

Pedro Lagerblad de Oliveira, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

Rafael Soares Lindoso, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Roberto A. Medronho, Faculdade de Medicina, UFRJ;

Romildo Bonfim, Faculdade de Medicina, UFRJ;

Rodrigo Nunes da Fonseca, Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé/NUPEM, UFRJ;

Russolina B. Zingali, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, UFRJ;

Rui Cerqueira, Instituto de Biologia, UFRJ;

Samira Lima Costa, Faculdade de Medicina, UFRJ;

Sérgio Bonecker, Instituto de Biologia, UFRJ;

Sandra Azevedo, Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, UFRJ;

Walter Suemitsu, Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia/COPPE, UFRJ;

 

Open Letter from 100 members of the scientific community of the Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ) - National Museum of UFRJ: The threat of the next fire

 

 

Links

minerva verde      CampusMacae verde      ouvidoria verde     intranet verde     Sigma verde    superEst verde     CAPES verde       cnpq verde     FAPERJ verde

UFRJ Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade - NUPEM/UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ